"Roubar ideias de um autor é plágio, de vários é pesquisa."








Translate

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Síndrome dos 20 e tantos anos...




Você começa a se dar conta de que seu círculo de amigos é menor do que há alguns anos. Dá-se conta de que é cada vez mais difícil vê-los e organizar horários por diferentes questões: trabalho, estudo, namorado (a) etc. E cada vez desfruta mais dessa cervejinha que serve como desculpa para conversar um pouco.

As multidões já não são tão divertidas, às vezes até lhe incomodam.
Começa a se dar conta de que enquanto alguns eram verdadeiros amigos, outros não eram tão especiais depois de tudo. Você começa a perceber que algumas pessoas são egoístas e que, talvez, esses amigos que você acreditava serem próximos não são exatamente as melhores pessoas.

Ri com mais vontade, mas chora com menos lágrimas e mais dor. Partem seu coração e você se pergunta como essa pessoa que amou tanto, pôde lhe fazer tanto mal.
Parece que todos que você conhece já estão namorando há anos e alguns começam a se casar, e isso assusta!
Sair três vezes por final de semana lhe deixa esgotado e significa muito dinheiro para seu pequeno salário. Olha para o seu trabalho e, talvez, não esteja nem perto do que pensava que estaria fazendo. Ou, talvez, esteja procurando algum trabalho e pensa que tem que começar de baixo e isso lhe dá um pouco de medo.

Dia a dia, você trata de começar a se entender, sobre o que quer e o que não quer. Suas opiniões se tornam mais fortes. Vê o que os outros estão fazendo e se encontra julgando um pouco mais do que o normal, porque, de repente, você tem certos laços em sua vida e adiciona coisas a sua lista do que é aceitável e do que não é.

Às vezes, você se sente genial e invencível, outras… Apenas com medo e confuso. De repente, você trata de se obstinar ao passado, mas se dá conta de que o passado se distancia mais e que não há outra opção a não ser continuar avançando. Você se preocupa com o futuro, empréstimos, dinheiro… E com construir uma vida para você. E enquanto ganhar a carreira seria grandioso, você não queria estar competindo nela.

O que, talvez, você não se dê conta, é que todos que estamos lendo esse texto nos identificamos com ele. Todos nós que temos "vinte e tantos" e gostaríamos de voltar aos 15-16 algumas vezes. Parece ser um lugar instável, um caminho de passagem, uma bagunça na cabeça… Mas TODOS dizem que é a melhor época de nossas vidas e não temos que deixar de aproveitá-la por causa dos nossos medos… Dizem que esses tempos são o cimento do nosso futuro. Parece que foi ontem que tínhamos 16… Então, amanhã teremos 30?!?! Assim tão rápido?!?"


sábado, 19 de abril de 2014

Tomar sol faz bem!





Você passou a vida toda ouvindo recomendações sobre os perigos de se expor ao sol, sobre o uso indispensável do filtro solar, sobre os malefícios dos raios violeta. Mas e os benefícios que um banho de sol pode proporcionar ao seu corpo? Aaahh esses ninguém te contou né? Você pode não ser uma planta, não possuir clorofila e não fazer fotossíntese, mas certamente seu corpo precisa de sol! Pois bem, chega de tacar o pau no nosso astro-rei e vamos conhecer o que ele nos traz de bom?
O essencial é equilíbrio! O excesso de sol faz sim, mal à pele. Além de manchas, queimaduras e envelhecimento precoce ele também pode causar câncer de pele. Mas veja bem, isso só pode ocorrer em caso de exposição excessiva, e fugir completamente do sol não é nada saudável.
Os raios ultra violentos violetas são essenciais para a sintetização da vitamina D. Essa vitamina por sua vez, é essencial para um organismo saudável. Estudos indicam que ela é capaz de reduzir pela metade os riscos de câncer de próstata, mamas, cólon e ovários, podendo até impedir sua progressão em fase inicial. Também é capaz de reduzir em 40% o risco de esclerose múltipla, fortalece o cérebro, barra a artrite reumatoide, ajuda a manter os dentes sadios e o mais conhecido de seus benefícios; evita a osteoporose!

Como funciona?
Nossa epiderme é rica em um derivado do colesterol chamado 7-desidrocolesterol que em contato com os raios UVB se transformam na pré-D3, que o calor do nosso corpo transforma em vitamina D3, transportada para a corrente sanguínea através de proteínas. Nos rins ela sofre outra alteração e se transforma em calcitriol, uma variação da vitamina D capaz de captar moléculas de cálcio auxiliando sua absorção.

Os nutricionistas afirmam que poucos são os alimentos que nos fornecem vitamina D e mesmo assim em quantidades baixas que não são o suficiente para proporcionar os benefícios que nosso corpo necessita, por isso o banho de sol é indispensável! Use, mas não abuse! Apenas meia horinha de sol por dia já é o suficiente para o organismo produzir a vitamina D que ele necessita para manter seus ossos firmes e seu corpo saudável!


domingo, 6 de abril de 2014

Havaianas!


Houve um tempo em que só haviam havaianas assim; nas cores, azul, preto e amarelo (sim, amarelo! e sim! tinha quem comprasse)  Havaianas era sinônimo de pobreza, literalmente! Ninguém queria usar isso. Vocês, que assim como eu, foram crianças nos anos 80, adolescentes nos anos 90, entendem o que estou falando. Havaianas era só pra tomar banho. SÓ! Sair na rua com isso JAMAIS!
Na infância fui obrigada a usá-las, a contragosto, sempre! O que nós, crianças dos anos 80 queríamos mesmo, era os chinelos do topo gigio, que era bonito (na época, era :p) e vinha com cheirinho ^-^ mas meu pai comprava as malditas havaianas... ¬¬

Nos inicio dos anos 90 a moda mesmo era o Rider, aquele com aquela grossa tira de borracha horrorosa, forrada com tecido. Hoje você pode achar medonho e afirmar categoricamente que jamais usaria aquilo, mas se tivesse sido adolescente nos anos 90... Aaahhh você usaria! E desfilaria com ele orgulhosamente! A final, era um RIDER! Original e super na moda, e não uma havaianas ralé...


Quando o famoso Rider se tornou uma moda do passado, esquecido, já que ninguém queria se lembrar que usou isso um dia, e as havaianas continuavam sendo chinelo ralé de lavar banheiro, nenhum chinelo passou a ser visto com bons olhos ao ser usado fora de casa. Para sair na rua, apenas sandalhinhas bonitas, sair de casa usando chinelos, jamais!

Foi então que as havaianas conquistaram o seu lugar ao sol! Elas melhoraram um pouquinho sua aparência ao lançar chinelos todo de uma única cor e não mais com aquela palmilha branca medonha, investiram em comerciais e passaram a ser bem vistas nas praias brasileiras, vejam bem, eu disse nas praias, apenas!
Aos poucos foram melhorando, saindo da areia para as cidades e caindo no gosto do povo.
Passou a ser vendida por preços absurdos fora do Brasil, virou chinelo chic de gringo, a primeira coisa que gringo faz quando chega ao Brasil, é comprar um par de havaianas. Reparem, todo gringo calça um par das legítimas novinho em folha, certamente adquiridas ainda no aeroporto, em uma das lojas das havaianas, com centenas de modelos, cores e formatos.
É incrível a mudança que a marca conseguiu adquirir, saindo do chinelo ralé de pobre e alcançando o status que tem hoje. (mantendo a mesma qualidade ralé... ) Com certeza os profissionais que trabalharam nessa conquista estão de parabéns. Porém, confesso que eu continuo tendo aquela velha repulsa com as havaianas, principalmente aquelas com fivelas grossas exatamente iguais as de antigamente, a mesma forma, o mesmo desenho, e apesar dos modelos que evoluíram, ganharam aspectos melhores, mais bonitos e apresentáveis, ainda assim, eu prefiro a concorrente!

Entrei no mercado esses dias, em busca de um chinelo bonitinho para usar para "sair", dei de cara com algumas havaianas bacanas, mas convenhamos, trinta reais em um chinelo de borracha? Gente, é um pedaço de borracha com tirinha! Não há beleza que me faça pagar trinta reais em um chinelo, mas nem que eu nadasse no dinheiro do cofre do tio patinhas!
Então vi uma Ipanema linda! Metade do preço das havaianas e mais bonitas que todas elas!
As Ipanemas são mais molinhas, mais flexíveis, mais bonitas, e além disso não me trazem aquela lembrança dos anos 80 e seus chinelos ralés, sem contar que ganham muito no preço, custam a metade do valor das havaianas, tendo basicamente a mesma qualidade se formos avaliar os prós e contras de ambas. O que difere as havaianas é apenas o nome, o status da marca, as pessoas pagam pelo status, preferem as "legitimas" pagam o dobro do preço para carregar o nome da marca no pé. Eu, ao contrário, escolho aquilo que mais me agrada indiferente da "etiqueta" bem pq, a etiqueta costuma custar mais que o produto em si!